Cadeirinhas nem sempre são a solução para animais paraplégicos. Podem não ser. Podem inclusive piorar o caso do seu pet. Veja!!!!!

Quando surge uma foto ou video de um cachorro ou gato paraplégico se arrastando logo vem um comentário dizendo: “vocês não conhecem cadeirinhas para animais?”. Bem, vamos desmistificar algumas coisas acerca desse mantra que ronda 100% dos protetores e dos tutores de animais especiais? Selecionamos aqui algumas frases que costumamos escutar bastante e respondemos. Vamos lá!

 

“A solução para o meu pet especial é a cadeirinha”

Não necessariamente. Parem de achar que a cadeirinha é a solução para tudo! Não é. Às vezes existem soluções bem melhores só que menos populares. Menos populares, não no sentido de serem mais caras, apenas menos conhecidas. Animais biamputados, com má formações, amputados, por exemplo, podem utilizar próteses ou órteses. Eles podem ter qualidade de vida muito melhor e independente que utilizando cadeirinhas de rodas.

Teste de prótese em um animal que nasceu sem parte das patas traseiras. Acervo de Rb. Orthopets.

Teste de prótese em um animal que nasceu sem parte das patas traseiras. Acervo de Rb. Orthopets.

Chi chi ficou famosa na internet pois foi salva de maus tratos em um restaurante de carne de cachorro na Coréia do Sul. Amputada das 4 patas mas ainda com movimento, hoje ela vive com 4 próteses.

Chi chi ficou famosa na internet pois foi salva de maus tratos em um restaurante de carne de cachorro na Coréia do Sul. Amputada das 4 patas mas ainda com movimento, hoje ela vive com 4 próteses.

Ricardo Bastos, engenheiro da RB. Orthopets, defende que cada caso é um, que deve ser analisado individualmente e por alguém com experiência e capacitado. Não há receita pré-pronta. Muitas vezes as próteses e órteses podem substituir o carrinho. Outras vezes, não. As órteses podem auxiliar na postura de um membro e do animal no próprio carrinho.

Na foto de acervo da OrtoCane, é o Max que sofreu uma ruptura de ligamento cruzado e está usando um par de órteses de joelho e um par de tarsos.

Na foto de acervo da OrtoCane, é o Max que sofreu uma ruptura de ligamento cruzado e está usando um par de órteses de joelho e um par de tarsos.

 

 

“É só colocar o animal na cadeirinha que ele sai andando!”

Não. Mas nem próximo disso!!!!!! São raros os casos que se coloca o animal na cadeirinha e ele se adapta logo. Coloque-se na situação dele! É normal os animais estranharem, deitarem, morderem a cadeirinha, ficam parados e não andam por nada. Ou saem correndo desesperados achando que aquilo está preso neles e eles tem que se soltar daquilo! Esse último caso foi o que aconteceu com a Vida, que vocês conhecem do nosso site. No vídeo pode-se ver Vida absolutamente desesperada com a cadeirinha. Ela corre sempre pedindo ajuda/ abrigo para alguém.

A gente, no vídeo, faz reforço positivo e tenta acalmá-la. Mas visivelmente nota-se que ela está nervosa e incomodada. Era a primeira vez que ela colocou a cadeirinha. Ela demorou algumas semanas para se adaptar à cadeirinha e ficar à vontade com ela.

Nosso primo Valente também não se adaptou  muito bem à cadeirinha, e só usa raras vezes para sair.

Gatos, por exemplo, são mais difíceis de se adaptarem a cadeirinhas. Eles estranham muito algo preso a eles. Por isso é muito mais difícil colocar roupinha em gato que em cachorro! Mas há casos de sucesso. A tutora do Paçoca e de vários outros gatos paraplégicos conta sua história de sucesso. Todos eles usam cadeirinha. Ela afirma que tudo é questão de insistir. Colocar o gato em um local que estimule ele, que ele queira explorar. E colocar na cadeirinha. Pode acontecer, sim, dele se jogar, não andar, etc. Gato não gosta de NADA no corpo deles. Mas tudo é questão de insistir.

Olhem que fofo o Paçoca no carrinho!

Olhem que fofo o Paçoca no carrinho!

Douglas Santos, da Reabilitação Adestramentos, afirma que em casos extremos deve ser feito um trabalho de adaptação com um profissional da área para garantir o máximo aproveitamento da cadeirinha.

 

“Consegui uma cadeirinha pela internet. Será que serve para o meu?”

Não, gente!!!! Por favor!!!!! Cadeirinhas, órteses e próteses são feitas sob encomenda com as medidas do animal! Você não usa escova de dentes de outra pessoa. Órteses e próteses são a mesma coisa! São de uso individual! Mesmo se for a mesma raça, cada animal tem as suas particularidades: pernas de determinado tamanho, musculatura, obesidade, etc. Tudo é levado em conta para a confecção de uma órtese.

A única coisa que é ACEITÁVEL é doação de cadeirinhas para animais parecidos em porte e que OBRIGATORIAMENTE passarão por ajudes com UM PROFISSIONAL COMPETENTE. Várias empresas que produzem cadeirinhas fazem esse serviço. Procure próximo de você uma que faça.

Ricardo Bastos, da Rb Orthopets, diz que muitas vezes o tutor chega com uma cadeirinha de grande porte, querendo que faça a adaptação para um pequeno porte. Ele diz que além de sair mais caro, a cadeirinha não ficará boa. Ou seja, é uma pseudo-economia. Sabe aquele ditado que o barato sai caro?

Uma cadeirinha não adaptada ao seu animal pode PIORAR a lesão dele. A coluna que deveria ficar reta pode ficar completamente desalinhada, pode sobrecarregar articulações, pode causar mais dor.

 

“Vi um vídeo sobre cadeirinhas de PVC, que são bem mais baratas. Vou fazer ou comprar de alguém que faça!”

Faça esse favor para o seu pet: não pense nunca nisso. Mas nunca, nunca, nunca mesmo! Lembra que o barato sai caro? Nunca esse ditado fez tanto sentido. Não, essa não é uma matéria paga pelas fábricas de cadeirinhas. Somos tutores de pets com necessidades especiais. Você pode perguntar para QUALQUER UM que tenha feito essa cadeirinha… Poucos, pouquíssimos, não tiveram algum acidente até mesmo grave com elas.

Muitos animais de abrigo usam essa cadeirinha. Mas assim como abrigo não é lar. Cadeirinha de PVC não é adequada. Tal qual o abrigo, a cadeirinha de PVC é um quebra galho emergencial. Não deve ser incentivado.

Muitos animais de abrigo usam essa cadeirinha. Mas assim como abrigo não é lar. Cadeirinha de PVC não é adequada. Tal qual o abrigo, a cadeirinha de PVC é um quebra galho emergencial. Não deve ser incentivado.

As cadeirinhas de PVC não são perfeitamente adaptáveis ao corpo do seu animal. Muitas vezes não são feitas por profissionais, sob medida, não são resistentes. Há muitos relatos de animais, principalmente de médio e grande porte, que a cadeirinha simplesmente desmontou depois de um tempo com o peso do animal. Agora, imagine, um cachorro paraplégico, com lesão na coluna, caindo de certa altura, de bumbum no chão. Não é para se preocupar? Não pode até PIORAR o estado de saúde dele?

 

“Toda cadeirinha é igual?”

Como cada animal é um, cada patologia é uma, cada cadeirinha tem que ser fabricada de acordo com a necessidade daquele paciente. Não existe receita de bolo. Mas há modelos bem conhecidos como as de paraplégico e as de tetraplégico. Somente seu médico e o fabricante poderão determinar qual o melhor modelo para o caso do seu animalzinho.

Na foto, Nick e seu tutor. Nick teve uma doença neurológica que causou disfunção das patas dianteiras e traseiras. Utilizou essa cadeirinha feita sob encomenda para ele. Três meses depois, graças ao tratamento, conseguiu voltar a andar e parou de usar a cadeirinha.

Na foto, Nick e seu tutor. Nick teve uma doença neurológica que causou disfunção das patas dianteiras e traseiras. Utilizou essa cadeirinha feita sob encomenda para ele. Três meses depois, graças ao tratamento, conseguiu voltar a andar e parou de usar a cadeirinha. Foto acervo do Rb Orthopets.

 

“Uma vez comprada e o animal tendo se adaptado à cadeirinha, é liberdade total!”

Não. Também não. Animais com cadeirinha ou órteses e próteses não podem ficar sem supervisão. Por mais adaptado que o animal esteja, acidentes podem acontecer. O animal perde parte do senso de espaço dele, tendo dificuldade para passar em locais estreitos, podem virar em curvas, podem cair. E o ideal é que acidentes assim não ocorram pois podem machucar ainda mais o animal já lesionado.

Cadeirinhas também não devem ser utilizadas o dia todo pois podem cansar e estressar o animal. Respeite e leia os sinais dele. Pode parecer feio para quem é de fora mas os animais preferem, sim, se arrastar dependendo do piso e da situação.

 

“O fabricante de cadeirinhas é longe. Comprei e nunca mais falei com ele.”

Não pode!!!!!! Você já fez roupa com uma costureira? Quantas “provas” você fez? Muitas, né? Até que a roupa ficasse perfeita esteticamente. A diferença aqui é que NÃO ESTAMOS FALANDO DE ESTÉTICA! Estamos falando de saúde! Não é só mandar as medidas, receber a cadeirinha pelo correio, colocar o animal, fazer a adaptação (que às vezes é bem rápida) e achar que é vida que segue. Não é.

Geralmente os fabricantes solicitam que o início do uso seja na própria empresa para ajustes na hora. Caso não seja possível, eles pedem fotos e vídeos do animal usando a cadeirinha e, se for o caso, envia instruções para pequenos ajustes. Algumas vezes, solicitam até mesmo o retorno do produto pelo correio sem custos para ajustes. Exatamente porque eles sabem que cadeirinha mal ajustada PODE PIORAR O CASO DO SEU ANIMAL.

Mas, perguntando para alguns fabricantes, a maioria dos tutores não manda esse retorno sobre o produto. Então, eles não sabem se a cadeirinha ficou 100% adequada.

 

Assim como, as cadeirinhas (e órteses e próteses) precisam de ajustes periódicos devido ao desgaste natural de qualquer equipamento. Da mesma forma, o animal muda. Pode engordar, emagrecer, crescer, ganhar ou perder massa muscular… Logo, os equipamentos devem ser reavaliados pelo fabricante.

Não há recomendação fixa de manutenção, depende muito do uso dela. A Aline, do perfil @golden.terriever, como tem um cachorro que não para quieto, o Troy: pula, entra na água, corre, sobre estruturas com a cadeirinha, ela faz manutenções de acordo com a necessidade. Mas a cada 10 meses no mínimo ela faz todo o alinhamento e manutenção de toda a cadeirinha e troca de rodas… e pintura (porque tem que ficar bem nas fotos!!!!)

Esse cachorro, que na foto da pra notar que é pouco ativo (só que não!) é o Troy! Ele é o único caso da empresa de cadeirinhas de pneu que fica careca!

Esse cachorro, que na foto da pra notar que é pouco ativo (só que não!) é o Troy! Ele é o único caso da empresa de cadeirinhas de pneu que fica careca! Por que será?

 

“Vocês só colocaram dificuldades para o uso das cadeirinhas. Quer dizer que elas não são boas?”

São maravilhosas!!!!!! O que queremos aqui é simplesmente tirar algumas ideias erradas sobre elas, exatamente pela falta de conhecimento. É o papel do MeuPetEspecial sempre trocar informações e disseminar conhecimento sobre a realidade de pets com necessidades especiais.

Cadeirinhas são uma maravilha para quem se adapta. Se você tem um pet paraplégico, as vantagens de se ter uma cadeirinha são inúmeras. Mesmo que animal não se adapte e não confie para andar (embora isso se consiga com a insistência), o fato dele voltar à posição de quatro patas é importantíssima pois evita escaras, melhora o funcionamento do sistema digestório e urinário.

Invista, sim, em uma cadeirinha. Procure um produtor CONFIÁVEL. Não aceite soluções milagrosas e desconfie de cadeirinhas muito baratas. Veja a reputação do fabricante na internet. Como dissemos, o barato pode ser caro.

E desejamos que seu pet se adapte  muito ao uso das cadeirinhas. Como Petit nesse vídeo. Petit hoje não usa mais cadeirinha quase. Usa raramente um modelo mais leve que esse do vídeo. Mas quase não usa devido à sua cardiopatia grave. Carregar o peso da cadeirinha pra ele é muito custoso. Mas ele usou cadeirinha, e muito, por sete anos.