Essa história aconteceu em Botsowana, na África. Uma cadelinha com lesão na coluna, paraplégica, mas com muita vontade de viver, se arrasta por quilômetros em busca de ajuda. E você? Tá querendo desistir de que hoje?

Sabe uma daquelas várias histórias que temos aqui de superação, em que nossos pets nos mostram o quanto vale a pena viver mesmo com todas as adversidades? Pois é. Acho que essa história se supera. Poppy sofreu uma lesão na coluna, ou por outro animal bem maior, ou pelo pior animal de todos: o ser humano. Fato é que a lesão fez com que Poppy ficasse paraplégica. Ela provavelmente ficou agonizando por semanas até que começou a se arrastar em busca de ajuda. Era um campo aberto, sem nada próximo por quilômetros!

Mas a sorte sorriu para Poppy que encontrou um grupo de pesquisadores de elefantes nessa savana, em um núcleo de pesquisa. Amanda Stronza e sua equipe relataram que ficaram chocados ao ver a cachorrinha se arrastando tão ao longe em direção a eles: “Ela estava se arrastando porque suas patas traseiras estavam completamente inutilizadas. Estava incapaz de andar mas estava cheia de amor e a procura de ajuda”.

O núcleo de pesquisa fica a pelo menos 8 horas de distância de um veterinário, o que fez com que Poppy ficasse abrigada com o grupo ali mesmo, recebendo ajuda da melhor maneira possível para as condições. Mesmo assim ela não desistiu. E a equipe também não. Como desistir de uma cadela que lutou tanto para viver? “O nosso campo fica numa zona remota, cheia de elefantes, mas também de leões, hienas e outros predadores. Poppy conseguiu de alguma forma chegar até nós, esfomeada e molhada da chuva” disse Amanda.

cadela2

Tudo o que Poppy queria era amor.

E então o grande dia chegou e então Amanda e seus colaboradores levaram Poppy à clínica veterinária mais próxima: a 8 horas de viagem. Determinaram a idade da cadela em 7 meses e ela tinha fraturado a coluna, necessitando de uma cirurgia mas seu estado era muito preocupante. Não poderia ser submetida a uma cirurgia que colocasse em risco ainda mais a sua saúde. “O veterinário diz que as suas chances eram poucas, mas ela tinha tanta vida dentro dela, e eu sabia que nós tínhamos que honrar a sua vontade de viver, e a luta que ela já tinha tido para chegar até nós. Eu não podia concordar com a eutanásia.” – disse Amanda.

Em alguns dias internada, com ração, anti-inflamatórios, água, amor, carinho, Poppy estava pronta para a cirurgia. Foi um sucesso e ela está se recuperando bem. Poppy está agora com os seus novos amigos no Botswana, enquanto continua a ganhar saúde e força. Daqui a um mês, os seus amigos vão avaliar a situação, para ver o que se pode fazer a partir daí. Mas, apesar de tudo, este grupo de amigos tem muitas esperanças no futuro desta cadelinha, que simplesmente se recusa a desistir.

Carinho é o melhor remédio.

Carinho é o melhor remédio.

“Tantas pessoas por este mundo fora a adoram, mesmo longe vão vendo o seu progresso diariamente e estão ansiosas por ver um final feliz para esta história, ou seja, a sua adoção por uma família amorosa. Ela vai recuperar a sua mobilidade, ou então vai ganhar umas rodinhas para ajuda-la. Acho que no final ela vai ter um futuro brilhante!” – complementa Amanda.