Se você anda se perguntando “Meu pet come cocô, o que devo fazer?”, saiba que este ato é muito comum. O fato do pet comer cocô, principalmente quando ainda filhote, é uma alteração animal que existe várias teorias do seu motivo, mas a questão ainda vai muito do protocolo de cada veterinário.

Para a coprofagia (nome correto do ato do animal comer cocô), existem vários fatores que podem causá-lo, como fatores enzimáticos, enzimas pancreáticas, pancreatite crônica etc., mas na maioria das vezes são fatores comportamentais, para chamar atenção do dono ou inclusive ansiedade.

A superalimentação também pode causar a coprofagia em cães. O animal recebe alimentação em grande quantidade uma vez ao dia, o que causa sua má digestão e logo quando estiver com fome fará o cachorro comer cocô.

Por que seu pet come cocô?

Alguns motivos:

– Os cães e gatos comem fezes muitas vezes por elas serem nutritivas mesmo. É o caso dos que vivem em florestas e têm o hábito de comer fezes de eqüinos, bovinos, entre outros.
– Excessos alimentares (dietas muito protéicas) e má digestão podem deixar as fezes mais atrativas nutricionalmente.
– Carências nutricionais (falta de vitaminas) e parasitoses intestinais.
– Deficiência de enzimas pancreáticas.
– Alimentar o animal apenas uma vez ao dia.
– Em filhotes pode estar relacionado com mudanças de flora intestinal.

 

Ainda, os emocionais:

– Transtornos de comportamento (ansiedade e estresse)
– Animais entediados que manipulam fezes como passatempo, especialmente quando eles vivem em ambientes pequenos e que passeiam pouco.
– Chamar a atenção dos tutores
– Localização errada dos recipientes de água e comida em relação ao local disponibilizado para que o animal faça suas necessidades.
– Pets com temperamento “forte” ou intolerantes a serem contrariados (quando ele quer e não é realizado algo ou quando ele não aceita uma situação). Cães deixados em casa sem companhia por um longo período de tempo acabam por exibir este comportamento, tutores que obrigam os cães a se alimentarem de comida industrializada.

Procure um veterinário para excluir as causas orgânicas. Contudo, na maioria das vezes o animal come as fezes por motivação emocional. Que tal chamar um adestrador?

Excluindo doenças, procure um adestrador para tratar a coprofagia. Fonte da imagem: blog do cachorro

Excluindo doenças, procure um adestrador para tratar a coprofagia.
Fonte da imagem: blog do cachorro

 

Riscos para o meu pet

Os riscos da coprofagia em animais que se alimentam das próprias fezes não são tão grandes quanto os dos pets que ingerem os excrementos de outros animais – já que, ao comer o cocô de outros cachorros ou gatos, o bicho corre o risco de ser contaminado por bactérias, parasitas, vermes, zoonoses e uma série de outros problemas que podem ser encontrados nas fezes de tais animais, prejudicando a sua própria saúde e até mesmo a de seus donos (ou outros animais com que tenha um contato mais direto).

Embora as consequências deste hábito possam ser simples e fáceis de tratar – como uma diarreia – também há casos em que a ingestão de fezes de outros animais pode provocar o surgimento de doenças perigosas e até fatais. Portanto, buscar uma solução para o problema deve ser algo no foco de atenção de todo dono de pet com coprofagia.

 

Como tratar a coprofagia então?

Consultar um médico veterinário é a primeira medida que deve ser tomada ao notar esse comportamento no seu pet, para que um diagnóstico preciso possa ser feito e o tratamento mais adequado seja indicado. Caso a origem do problema seja alguma doença ou deficiência nutricional, a exclusão do problema e a adoção de uma dieta mais completa já podem ser o suficiente para acabar com o hábito; no entanto, motivações comportamentais exigem mais cuidados.

Confira, abaixo, algumas dicas valiosas para controlar o hábito do seu pet canino de comer cocô:

  • Evite deixar que sujeira e as necessidades do cão se acumulem nos ambientes em que ele circula
  • Evite brigar demais com o cão quando ele urina ou defeca em locais errados, e busque técnicas de adestramento para impedir que isso aconteça, ao invés de ser agressivo com o animal
  •  Mantenha o animal na coleira enquanto ele faz suas necessidades, e o distraia quando terminar para que não busque as próprias fezes
  • Alimente seu pet com uma dieta balanceada e três refeições diárias, impedindo a carência de nutrientes e a má digestão
  • Leve seu pet ao veterinário com frequência para a realização de check-ups de rotina
  • Mostre ao cão que aquele hábito é errado, chamando sua atenção com um alto e sonoro “não” toda vez que ele repetir o comportamento
  • Crie uma rotina de distrações para o animal sempre que ele fizer suas necessidades; oferecendo petiscos, brinquedos e carinhos para desviar sua atenção das fezes.
  • Há florais, homeopatias, acupuntura e alopatias para ajudar seu pet a largar esse hábito feio aos olhos humanos, embora seja algo normal no reino animal.

coprofagia2-meupetespecial