Quando descobri estar grávida foi uma preocupação de todos, como eu cuidaria de 3 cães especiais. Alguns, mais loucos, falaram que eu deveria me desfazer deles. Confesso que não foi fácil. Mas não seria uma boa mãe se eu me desfizesse dos meus primeiros filhos, os que me ensinaram a ser mãe: meus cães especiais.

Há um ano eu descobri que estava grávida, em abril de 2018. Foi uma gestação esperada porém um medo era comum a todos que me cercavam e também a mim: como eu cuidaria de Petit e Vida, que são paraplégicos, e de Enzo, que tem doença neurológica.

Bem, mas vamos começar pelo começo! Me perguntam muito se meus animais mudaram quando fiquei grávida. A princípio os meus cães não mudaram em nada. Petit continuava fazendo manha de velho pra tudo, Vida aprontando, Enzo pulando na minha barriga… Quem REALMENTE mudou e nos surpreendeu foi o Gato. Logo o Gato! O animal q julgamos independente, preso à casa (e não aos donos), todos esses preconceitos. Mas – convenhamos – gatos são menos expressivos e carinhosos no geral que cães. Eles expressam de forma diferente. O Gato aqui de casa, então, não gosta de carinho (só quando ele pede e por pouco tempo!), não gosta de ficar perto, só vem pra casa pra comer, reclamar (e como reclama!) e dormir. Mas quando fiquei grávida, nos primeiros meses, ele mudou completamente. Estava super carinhoso (só comigo), dormia só comigo e geralmente na altura do meu peito ou da minha barriga. Ele SEMPRE dormia com a pata na minha barriga (como na foto).

Gato mudou completamente na minha gestação. Dormia sempre comigo, muitas vezes com a pata na minha barriga.

Gato mudou completamente na minha gestação. Dormia sempre comigo, muitas vezes com a pata na minha barriga.

 

Acreditam? Era inacreditável! Aquele gato q não gostava de ficar perto da gente estava grudado em mim! Quem explica isso? Não explica… Por isso agora nosso gato é o Gato da Alice. Ele foi o primeiro a senti-la e esperá-la.

O primeiro trimestre da gravidez foi complicado, não por enjoo, não por vômito, mas por cansaço. Eu dormia muito! E esquecia muitas vezes dos remédios dos cachorros, perdia horário. Nesse sentido, a galera aqui de casa me ajudou muito.

A barriga foi crescendo e com ela o meu medo maior: não conseguir sentar no chão para trocar a fralda de Vida e espremer a bexiga. Lembre-se que a Vida não controla xixi e precisa de ajuda para eliminar. Realmente, foi bem difícil. Muitas vezes eu trocava apenas agachada. Comecei a espremer bem menos a bexiga da Vida. E no final da gestação, com falta de ar e com a barriga muito grande, muitas vezes eu sentava no chão mas precisava de ajuda para levantar, ou ficava sentada até alguém conseguir me rebocar.

Sentar no chão era muito complicado pra trocar fralda e espremer bexiga da Vida. Mas a realidade se mostrou bem mais fácil que todo o temor que eu achava que não iria conseguir. Consegui.

Sentar no chão era muito complicado pra trocar fralda e espremer bexiga da Vida. Mas a realidade se mostrou bem mais fácil que todo o temor que eu achava que não iria conseguir. Consegui.

 

Mais que sentar para trocar fralda, eu comecei a sentar no chão para fazer nebulização no Petit, que ficou com a respiração ruim por causa da sua cardiopatia. Além disso, as crises de Enzo também exigiam que eu sentasse no chão para cuidar dele. Eu temi muito pelo crescimento da barriga e não conseguir mais fazer isso. Mas consegui. Não foi tão difícil assim. Algumas vezes (a maioria) precisava de ajuda pra levantar. Mas consegui cuidar de todos.

Manhã de Natal e mamãe e Alice (na barriga) acordaram pra fazer nebulização no velhinho Petit. Ele acordou tossindo.

Manhã de Natal e mamãe e Alice (na barriga) acordaram pra fazer nebulização no velhinho Petit. Ele acordou tossindo.

 

Enzo sempre que tinha crise também a barriguda aqui tinha que sentar no chão para acudi-lo. Na foto, ele curtindo a Alice na barriga. Ela adorava chutar ele que se encostava na barriga. É sério! Era ele se encostar e ela chutava! Mas ele não saia. Abusado!

Enzo sempre que tinha crise também a barriguda aqui tinha que sentar no chão para acudi-lo. Na foto, ele curtindo a Alice na barriga. Ela adorava chutar ele que se encostava na barriga. É sério! Era ele se encostar e ela chutava! Mas ele não saia. Abusado!

 

Nós passamos por uma prova de fogo na gravidez: o olho do Enzo simplesmente saiu da órbita! Tivemos que fazer uma cirurgia de emergência nele para recolocar e rezar muito que ele não perdesse a visão do único olho bom dele. E corre com Enzo no colo pra cá, corre pra lá, coloca colírio, e espera cirurgia, e eu grávida…. E a médica com medo que eu parisse ali mesmo… hahahaha Mas deu tudo certo. E Enzo além de não perder o olho, não perdeu a visão. Milagres existem!

Enzo quase perdeu a visão e teve que fazer uma cirurgia de emergência. A veterinária estava com medo que mamãe parisse naquele dia. Mas tudo ocorreu bem!

Enzo quase perdeu a visão e teve que fazer uma cirurgia de emergência. A veterinária estava com medo que mamãe parisse naquele dia. Mas tudo ocorreu bem!

 

Grávidas incham muito, né? Pois bem, eu inchei sim. Mas eu tive uma ajuda muito especial. Praticamente uma drenagem linfática particular, em casa, todos os dias…

Drenagem linfática canina. Em cães? Não, Feita por cães. hehehe

Drenagem linfática canina. Em cães? Não, Feita por cães. hehehe

 

Eu tive alguns problemas com o Gato dormindo em coisas da Alice… Em verdade, tenho esse problema até hoje. Gatos são muito abusados!

Gato dormindo no bebê conforto depois de limpo e asséptico.

Gato dormindo no bebê conforto depois de limpo e asséptico.

 

Falando de gatos e gestação, sempre tem aquela ideia que gatos transmitem toxoplasmose, que é uma doença perigosíssima para gestantes. Eu já tinha anticorpos para toxoplasmose. Mas mesmo se eu não tivesse, segue um meme explicativo sobre a doença.

Desculpem o palavrão, não feito por nós. Mas a informação é verídica. A maior causa de contaminação por toxoplasmose não são os gatos, exceto se você come suas fezes (que espero que não faça) ou troque a areia deles (podendo respirar ovos do parasita). Tirando isso, a maior causa de contaminação por toxoplasmose é a comida!!!!! Por isso gestantes não podem comer folhas, frutas sem higienizar e carnes cruas ou mal passadas.

Desculpem o palavrão, não feito por nós. Mas a informação é verídica. A maior causa de contaminação por toxoplasmose não são os gatos, exceto se você come suas fezes (que espero que não faça) ou troque a areia deles (podendo respirar ovos do parasita). Tirando isso, a maior causa de contaminação por toxoplasmose é a comida!!!!! Por isso gestantes não podem comer folhas, frutas sem higienizar e carnes cruas ou mal passadas.

 

Petit, uma das minhas preocupações. Petit era muito rabugento e manhoso. Pedia toda noite para ser colocado na cama e coberto. Como estava velhinho, não conseguia percorrer muitas distâncias. Toda noite eu tinha que buscá-lo onde estivesse para colocá-lo na cama. Isso era uma preocupação por com a evolução da barriga, eu não conseguir pegá-lo no colo. Mas consegui.

Consegui pegar Petit e colocá-lo na cama todos os dias, mesmo com barrigão. Outro medo que foi por água a baixo.

Consegui pegar Petit e colocá-lo na cama todos os dias, mesmo com barrigão. Outro medo que foi por água a baixo.

 

Uma coisa que me entristece MUITO é que gestante eu ficava muito sem paciência. Muitas vezes gritei. Muitas vezes chorei e pedi desculpas abraçada a eles. Mas muitas vezes gritei e perdi a paciência com eles. Principalmente com Petit, que era o mais manhoso, o que me dá mais remorso ainda pois ele decidiu ir embora logo após Alice nascer. Dá muita tristeza e muito remorso. Mas tenho certeza que Petit, sendo especial como sempre foi, entendeu a sua mãe.

Sei que Petit me perdoou todas as vezes que perdi a paciência com ele e gritei. Sei que ele sabe que dediquei minha vida a ele, pelos 15 anos que viveu comigo. Mas me arrependo. Queria que meus hormônios não tivessem atrapalhado o que seriam os últimos meses com o meu anjo da guarda.

Sei que Petit me perdoou todas as vezes que perdi a paciência com ele e gritei. Sei que ele sabe que dediquei minha vida a ele, pelos 15 anos que viveu comigo. Mas me arrependo. Queria que meus hormônios não tivessem atrapalhado o que seriam os últimos meses com o meu anjo da guarda. Detalhe dos pés inchados da grávida na foto. 

 

Ainda não consigo escrever sobre Petit sem chorar…

 

Mas vamos lá… o dia do parto!!!!! Esperei até o último momento, as contrações em casa. Passei a noite inteira com contrações. E adivinha quem foi meu companheiro da madrugada nas contrações? Enzo. Porque papai dormiu! hahahaha E no dia seguinte ainda tive que fazer manobra no reto dele que prolapsou.

Essa foto não é esteticamente bonita. Nem um pouco. Sabemos disso. 😂😂😂 Mas representa um momento único. Era manhã de sábado, dia 9, eu estava há quase 24 horas com contrações. Feliz com a aproximação da hora da Alice. E Enzo faz prolapso retal... Às vésperas de eu me internar, como deixar Enzo com prolapso? Ninguém mais além d mim e meu marido sabemos fazer a reversão manual. Ele ficaria sei lá quanto tempo com o reto pra fora? Fizemos a manobra. Demora bastante. As contratações estavam de 10 em 10 minutos. Ficamos muito tempo colocando o reto pra dentro e desinflamando. E depois Enzo tem que ficar quietinho pra não forçar a saída de novo. E então foi assim: ficamos os dois no sofá. Ele me fazendo companhia para as contratações e eu entre as contratações "ninando" Enzo para que ele não prolapsasse de novo.

Essa foto não é esteticamente bonita. Nem um pouco. Sabemos disso. 😂😂😂 Mas representa um momento único. Era manhã de sábado, dia 9, eu estava há quase 24 horas com contrações. Feliz com a aproximação da hora da Alice. E Enzo faz prolapso retal… Às vésperas de eu me internar, como deixar Enzo com prolapso? Ninguém mais além d mim e meu marido sabemos fazer a reversão manual. Ele ficaria sei lá quanto tempo com o reto pra fora?
Fizemos a manobra. Demora bastante. As contratações estavam de 10 em 10 minutos. Ficamos muito tempo colocando o reto pra dentro e desinflamando. E depois Enzo tem que ficar quietinho pra não forçar a saída de novo. E então foi assim: ficamos os dois no sofá. Ele me fazendo companhia para as contratações e eu entre as contratações “ninando” Enzo para que ele não prolapsasse de novo.

 

Finalmente a hora de ir para o hospital. Me despedi obviamente dos meus filhos de quatro patas. Na cama dele. Meu marido quase enlouqueceu de eu sentar na cama deles (e não consegui levantar depois!) para me despedir, mesmo com contrações. Mas eu ficaria dois dias fora. E voltaria com um neném. Eu tinha que me despedir. E em realidade, essa foi uma das últimas fotos todos nós juntos.

Mãe e seus quatro filhos. Um deles, nascendo naquele dia.

Mãe e seus quatro filhos. Um deles, nascendo naquele dia.

 

Se tem alguma foto mais cheia de amor que a próxima, desconheço. É a chegada da gente do hospital, já com Alice no colo. “Mas você vai se abaixar pra mostrar Alice? Você acabou de parir!” gritava meu marido – parece que não me conhecia… hahahaha

Conhecendo a nova irmã.

Conhecendo a nova irmã.

 

Os cachorros ficaram – nos dias que fiquei no hospital – sob os cuidados de uma vizinha pet sitter, um amor de pessoa, e sob supervisão durante o dia do meu enteado. Essa foi sempre uma preocupação minha: quem cuidaria deles enquanto eu estivesse no hospital. Não haveria como levá-los e depois buscá-los em uma hospedagem.

 

Petit, como disse, foi embora dias depois dessa foto. Corri com ele para o hospital, ficou internado, fui visitá-lo algumas vezes, mas ele decidiu ir embora. Foi embora quando Alice veio pois sabia que eu teria que ser forte por ela…. E já estou chorando de novo! hehehe Um dia, em breve, conseguirei contar melhor essa história. Aguardem.

Petit, meu anjo da guarda, que cuidou de mim por toda a vida dele (e as pessoas achavam que eu que cuidava dele sendo paraplégico!), esperou somente Alice nascer para partir. Virou minha estrela mais brilhante no céu.

Petit, meu anjo da guarda, que cuidou de mim por toda a vida dele (e as pessoas achavam que eu que cuidava dele sendo paraplégico!), esperou somente Alice nascer para partir. Virou minha estrela mais brilhante no céu.

 

E assim terminamos nossa matéria. Vou conseguir escrever ainda sobre Petit em outra matéria. Juro. Agora ainda não consigo. Mas conseguirei. 🙂

O que posso deixar de mensagem para as mulheres com pets especiais e que tem medo da gestação e de como será… eu temi muito. Mas foi muito mais tranquilo que eu esperava. O que mais pegou mesmo foi a irritação, que me arrependo muito pelo motivo citado. Embora depois de gritar eu sempre me arrependesse e sentava no chão abraçada a eles e pedindo desculpas. O meu lema com eles na gestação era que ninguém soltasse a mão ou a pata de ninguém. Precisávamos estar juntos. E Petit não largou. Foi embora só depois…

tres especiais e gestacaogestante e pets especiais

 

Seja qual for a dificuldade, não abandone seus pets por estarem grávidas. Eles nunca te abandonariam. Não se começa uma família abandonando quem te ama e dedica a vida a vocês.