Quando recebemos o diagnóstico da paralisia de nossos pets é definitivamente perturbador. Mas eles podem melhorar! Até mesmo voltar a andar! Leia e veja a seguir!

O diagnóstico é um marco. Não sabemos como será a vida dele. Como um pet pode ser paraplégico ou, pior, tetraplégico? Eles podem voltar a andar? Eles vão sentir dor para o resto da vida? Essas perguntas nos consomem! E ao mesmo tempo que estamos nesses questionamentos, todos a volta aconselham a eutanásia. Não faça isso! Ele pode viver bem assim, melhorar, e até voltar a andar!

Nosso site já mostrou diversas vezes que há vida digna após o diagnóstico da paralisia! Já mostramos a história do Petit, que há quatro anos é paralítico por hérnia. Na rua ele consegue dar seus passinhos. Para quem não conseguia mexer nem o rabo! Foi uma grande evolução!

O Petit nunca voltou a andar como um cachorro normal. Mas ele não conseguia nem levantar em duas patas!

Mas uma história emocionante aqui da página foi a do Branquinho, um gato agredido que ficou paraplégico e voltou a andar como um gatinho normal!

Mesmo que seu pet não volte a andar, deve-se aceitá-lo como é e fazer as adaptações necessárias. Ele será feliz. Acredite. Olhe a Shakira, vítima de atropelamento, dando um rolê por aí.

E a Vida, a primeira vez que andou de cadeirinha, ainda internada.

O importante é manter a calma. Tenha a certeza que a fase ruim irá passar. A dor, o desespero, a adaptação. Tudo passa. Eles se adaptam a essa realidade mais facilmente que nós! Acredite!

“Tudo o que eu queria quando recebi o diagnóstico do meu era que alguém dissesse isso para mim: essa dor vai passar, mesmo que ele não volte a andar, ele se adaptará facilmente.” disse uma de nossas colaboradoras em um relato.

Mas siga as orientações dos veterinários, busque mais opiniões. Médicos podem errar… e muito!

Lembre-se de adaptar sua casa ao seu novo pet. Nada de escadas, degraus (mesmo os pequenos). Chão áspero causa ferida em cães que se arrastam. Logo, coloque-o em local liso para que possa correr feliz (mesmo que de forma diferente) como a Nina nesse video.

Animal especial precisa de terapia. E isso depende das suas possibilidades e a estrutura da sua cidade. As recomendações devem ser feitas por seu veterinário mas vai desde acupuntura, que Petit está fazendo aqui, e mostrando reflexo das patas.

Outras terapias muito importantes, porém depende se sua cidade tem clínicas especializadas, são alongamento, tração, tratamento com laser, hidroterapia. Aqui, a Vida fazendo hidroterapia.

Há também tratamentos alternativos CAROS e sua segurança não é 100% eficaz, a terapia com células tronco. Hoje há algumas empresas pelo Brasil especializadas nesse tipo de tratamento, que não é recomendável para qualquer caso. Converse bem com vários veterinários antes de partir para um tratamento desses.

De qualquer forma, mesmo que você não tenha condições de fazer os tratamentos listados, certifique-se com seu veterinário que seu pet não sente dor. Não sentindo dor, já vimos que ele pode ter uma vida normal. Permita-se então viver com um pet especial.